Quantas vezes o seu time já foi rebaixado para a Série B do Brasileiro?

Um dos assuntos mais polêmicos referentes ao futebol é a quantidade de vezes que um  e clube já foi rebaixado da primeira para a segunda divisão no Campeonato Brasileiro. Inclusive, este assunto é cercado por muitas mitologias geradas pela desconhecimento da própria história do campeonato brasileiro, suas formas de disputa e a instituição em momentos distintos da segunda divisão e do rebaixamento.

O Campeonato Brasileiro foi disputado pela primeira vez em 1971 com a primeira e a segunda divisão. Contudo, não houve promoção da segunda para a primeira divisão e nem rebaixamento da primeira para a segunda. Reparem: em 1971, o Villa Nova-MG foi campeão da segunda divisão do brasileiro, mas em 1972, o clube mineiro não participou das Séries A e B do campeonato brasileiro. Em 1972, foi a vez do Sampaio Corrêa conquistar a Série B. Em 1973, ano em que não houve Série B, o clube maranhense não participou da Série A. Vale ressaltar que a Série B de 1972 somente foi disputada por clubes do Nordeste.

A partir de 1973, a segunda divisão ficou 7 anos sem ser disputada, retornando apenas em 1980. O campeão e o vice eram promovidos à primeira divisão, mas também havia uma promoção no meio do campeonato, um tanto estranha aos olhos de hoje, mas devidamente prevista no regulamento. Outro detalhe é que de 1980 a 1985, não havia rebaixamento da primeira para a segunda divisão. Quer dizer, mais ou menos. Em 1982 e 1983, clubes eliminados na primeira fase da primeira divisão disputaram a segunda fase da segunda divisão. Em 1983, tivemos um caso curioso. O campeão e vice da segunda divisão, Juventus-SP e CSA, haviam começado o campeonato na primeira divisão. Particularmente, não considero isso um rebaixamento. Por que? Simples, porque no ano seguinte os mesmos clubes poderiam estar tranquilamente na primeira divisão caso se classificassem pelos seus campeonatos estaduais.

De 1980 a 1985, a primeira divisão, da mesma forma que a segunda, era formadas ano-a-ano em conformidade com as classificações nos campeonatos estaduais. Cada Estado tinha uma quantidade X de vagas. Se um dos grandes não se classificasse pelo Campeonato Estadual, disputaria a segunda divisão. E isso de fato aconteceu com Palmeiras, em 1981 e 1982, e Corinthians, em 1982.

Em 1986, a CBF tentou instituir o rebaixamento para fechar o grupo da primeira divisão e finalmente implementar a promoção e o rebaixamento. Contudo, esse objetivo não foi alcançado devido a uma série de questionamentos no STJD e na justiça comum por parte dos clubes rebaixados. Isso fez com que a CBF desistisse de organizar o campeonato de 1987. A CBF somente conseguiu fechar a primeira divisão, instituindo a promoção e o rebaixamento, em 1988. Desde então, só não houve rebaixamento em apenas um ano: 1992. E por uma razão: a operação de resgate do Grêmio que havia sido rebaixado no ano anterior, 1991.

 

As participações de Palmeiras e Corinthians na segunda divisão de 1981 e 1982

Corinthians e Palmeiras são dois clubes que possuem uma história interessante com relação aos rebaixamentos. O Palmeiras participou da segunda divisão em 1981 e 1982. Não por ter sido rebaixado, mas por não ter conseguido uma das vagas de São Paulo devido à campanhas horrorosas nos estaduais de 1980 e 1981. Na segunda divisão de 1981, o clube chegou a ser promovido para a primeira divisão no meio do campeonato, mas isto não voltou a ocorrer em 1982, quando o Palmeiras iniciou e terminou na segunda divisão.

O Corinthians também participou da segunda divisão de 1982. O clube paulista foi promovido no meio do campeonato à primeira divisão e chegou às semifinais onde foi eliminado pelo Grêmio. Teria sido muito curioso se o Corinthians tivesse sido o campeão brasileiro de 1982, tendo começado o campeonato na segunda divisão.

Dessa forma, além dos rebaixamentos do Palmeiras em 2002 e 2012 e do Corinthians em 2007, é necessário considerar essas três participações na segunda divisão. Reparem: para esses casos, estou utilizando a palavra “participação” e não “rebaixamento”. Dessa forma, as informações dos dois clubes são:

 

Palmeiras, dois rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 2002 e 2012.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982. Em 1981, subiu para a Série A no decorrer da Série B.

 

Corinthians, um rebaixamento e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado uma vez: 2007.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 1 campeonato: 1982. Em 1982, subiu para a Série A no decorrer da Série B, chegando até as semifinais do campeonato, onde foi eliminado pelo Grêmio.

 

Palmeiras e Corinthians participaram, mas Santos, Vasco e Grêmio não

Depois das participações de Corinthians e Palmeiras na segunda divisão de 1981 e 1982, a CBF mudou o seu modus operandi com relação aos principais clubes do país. Em 1983, o Santos deveria ter participado da segunda divisão, pois não se classificou pelo Paulista de 1982. Em 1984, Vasco e Grêmio, este no ano seguinte a conquista da Libertadores e do Mundial, deveriam ter disputado a segunda divisão pois não se classificaram pelos estaduais de 1983. Ocorre que a CBF alterou os critérios, criou a classificação pelo ranking histórico e fez com que os três clubes disputassem a primeira divisão nesses dois anos. O Santos foi o vice-campeão de 1983. Em 1984, o Grêmio chegou até as semifinais e o Vasco foi o vice-campeão brasileiro.

Mas para que estes clubes participassem, outros ficaram de fora. O Santos ficou com a vaga do CSA, vice da segunda divisão de 1982. Menos mal para a equipe alagoana que participou da primeira divisão do mesmo jeito, mas como campeão alagoano de 1982. No caso de Vasco e Grêmio, o que aconteceu foi mais grave. Juventus e CSA, campeão e vice da segunda divisão de 1983, ficaram de fora da primeira divisão para que os dois clubes entrassem pelo ranking histórico. Desta vez o CSA não teve a mesma sorte do ano anterior, pois o campeão alagoano de 1983 havia sido o Asa de Arapiraca.

 

 

“Causos” para serem lembrados

Brasileiro de 1986

A primeira fase foi disputada por 44 clubes organizados em 4 grupos no Torneio Principal e 36 clubes organizados em 4 grupos no Torneio Paralelo. No Torneio Principal, os 6 primeiros colocados de cada grupo se classificaram para a segunda fase, junto com os 4 clubes de melhor campanha entre os eliminados. Os outros 16 clubes estavam rebaixados para a segunda divisão de 1987. No Torneio Paralelo, o primeiro colocado de cada grupo se classificou para a segunda fase. Os outros clubes, 32 no total, estavam rebaixados para a segunda divisão de 1987. Assim, terminada a primeira fase, o campeonato de 1986 já teria 48 rebaixados.

O Vasco terminou na 7ª colocação do Grupo C e se classificou por ter uma das 4 melhores campanhas entre os eliminados. Contudo, o Joinville ganhou os pontos do empate contra o Sergipe por 1×1, 29/09/1986, devido ao doping de um dos jogadores da equipe sergipana, e passou a ter melhor campanha que o Vasco, o que decretaria o rebaixamento da equipe vascaína. Para evitar o rebaixamento do Vasco, a CBF eliminou a Portuguesa pois o clube paulista havia acionado a justiça comum por um problema na venda de ingressos. Com isto, os clubes paulistas ameaçaram abandonar o campeonato caso a eliminação da Portuguesa fosse confirmada. E como a CBF resolveu este problema? Criou no meio do campeonato 4 novas vagas para a segunda fase, resolvendo o problema de Joinville/Vasco/Portuguesa e classificando três equipes que haviam sido rebaixadas: Santa Cruz, Sobradinho e Náutico. Neste momento, a CBF comprometeu todo o rebaixamento do Brasileiro de 1986.

Além dos rebaixamentos da primeira fase, 48 no total, ainda tivemos 8 rebaixamentos na segunda fase. Os 32 clubes da segunda fase foram distribuídos em 4 grupos, onde os dois últimos colocados de cada grupo foram rebaixados para a segunda divisão de 1987. O Campeonato Brasileiro de 1986, terminaria com 56 clubes rebaixados para a segunda divisão de 1987.

A manobra para resolver o problema de Joinville, Vasco e Portuguesa, serviu como argumento para que clubes rebaixados na segunda fase como Botafogo, Vitória e Sport-PE questionassem no STJD ou na Justiça Comum o rebaixamento, conseguindo assim a sua anulação. Até o Coritiba, rebaixado na primeira fase, conseguiu anular seu rebaixamento na justiça. Isso fez com que a CBF desistisse de organizar o campeonato de 1987, não efetivando os rebaixamentos do Campeonato Brasileiro de 1986. Este foi o epicentro da confusão que levou a criação da fatídica Copa União, seus Módulos Verde e Amarelo e seu Quadrangular Final.

 

Brasileiro de 1996

O Campeonato Brasileiro de 1996 terminou com o rebaixamento de Fluminense e Bragantino. Os dois clubes se preparavam para a disputa da segunda divisão de 1997 quando em maio do mesmo ano, dois meses antes do início do campeonato, explodiu o Caso Ivens Mendes. Este escândalo era referente ao envolvimento de Corinthians e Athletico-PR com a corrupção de arbitragens visando a obtenção de resultados favoráveis em seus jogos. Esta confusão piorou quando o Presidente do Vasco, Eurico Miranda, tentou suspender a semifinal da Copa do Brasil entre Corinthians e Grêmio. Isso porque o Corinthians havia eliminado o Athletico-PR nas quartas-de-final, que por sua vez havia eliminado o Vasco nas oitavas-de-final. Com a situação saindo de controle, a CBF abafou o caso, não puniu nenhum clube e cancelou os rebaixamentos do Brasileiro de 1996.

Não puniu em termos, pois a CBF puniu o Athletico-PR com a perda de 5 pontos no Brasileiro de 1997, sem que isso mudasse sua colocação final na tabela. É por isso que o Athletico-PR terminou na 11ª colocação com 28 pontos, à frente de Sport-PE na 12ª colocação com 33 pontos.

A punião na verdade foi uma “punição”.

 

Brasileiro de 1999

O Brasileiro de 1999 trouxe uma inovação que só foi utilizada nesta edição em toda a história do Campeonato Brasileiro: o rebaixamento seria pela média de pontos dos Campeonatos de 1998 e 1999. Uma boa campanha no ano anterior, poderia salvar um clube, da mesma forma que uma campanha ruim poderia comprometê-lo. No caso dos clubes que não disputaram o Brasileiro de 1998, seria considerada apenas a média de 1999.

Botafogo e Inter-RS caminhavam à passos largos para a segunda divisão de 2000, quando a CBF utilizou uma tecnicidade do Caso Sandro Hiroshi para tirar pontos do São Paulo, que havia vencido o Botafogo por 6×1 e empatado com o Inter-RS em 2×2, e ajudar os dois clubes. O divertido desta história é que Sandro Hiroshi havia disputado 16 jogos pelo São Paulo no Brasileiro de 1999, que pontuou em 10 deles, obtendo oito vitórias e dois empates. Se o São Paulo perdesse todos os pontos em que o jogador atuou, ele seria rebaixado para a segunda divisão de 2000.

No final da história, o São Paulo somente perdeu os três pontos do jogo contra Botafogo e o ponto do empate contra o Inter-RS. Por sua vez, os dois clubes receberam 3 pontos pelos jogos anulados contra o São Paulo. Dá para entender isso? Não. E o que aconteceu com os pontos das outras partidas em que Sandro Hiroshi autou? Nada. Depois de uma grande tensão com os paulistas ameaçando abandonar o campeonato, os processos foram retirados e o São Paulo se classificou para a fase final, onde foi eliminado pelo Corinthians nas semifinais.

Os pontos recebidos pelo Inter-RS acabaram funcionando como um seguro, pois o clube gaúcho conseguiu no campo os pontos necessários para disputar a primeira divisão de 2000. No caso do Botafogo, os pontos foram fundamentais para a sua permanência. Contudo, para que o clube carioca permanecesse, alguém teria que ser rebaixado. Esse alguém foi o Gama, que havia terminado na 15ª colocação num campeonato com 22 clubes.

O Gama partiu para a guerra contra o sistema. Venceu todas as batalhas jurídicas e fez com que a CBF desistisse de organizar o Brasileiro de 2000, nascendo assim a Copa João Havelange com seus 114 clubes divididos nos Módulos Azul, Amarelo, Verde e Branco. Inclusive, os clubes trabalharam para deixar o Gama de fora da Copa, mas o clube brasiliense garantiu na justiça sua participação.

Terminado o campeonato, a CBF voltou a organizar o Brasileiro em 2001. Aproveitando-se do vácuo criado pela Copa João Havelange, a CBF organizou a Série A utilizando seus próprios critérios, da mesma forma que havia feito em 1988, depois da Copa União e seus Módulos Verde e Amarelo. A primeira divisão de 2001 foi organizada com 28 clubes: os 22 clubes que haviam disputado o campeonato de 1999; Goiás e Santa Cruz, campeão e vice da segunda divisão de 1999, e Fluminense, Bahia América-MG e São Caetano, clubes que disputariam a Série B de 2000.

 

 

Campeões brasileiros que nunca foram rebaixados para a segunda divisão

Este grupo é formado por apenas 4 clubes: Santos, São Paulo, Flamengo e Cruzeiro. Contudo, alguns destes clubes possuem algumas histórias relacionadas ao rebaixamento:

 

Santos – o campeonato paulista de 1982 terminou com o Santos na 9ª colocação e fora da primeira divisão de 1983. As 6 vagas de São Paulo ficaram com Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Juventus, Ferroviária e Ponte Preta. Para que o Santos não  disputasse a segunda divisão de 1983, a CBF criou pela primeira vez uma vaga pelo ranking histórico e colocou o Santos na primeira divisão no lugar do CSA, vice-campeão da Série B de 1983;

 

São Paulo – trata-se do já mencionado Caso Sandro Hiroshi em 1999 que levou a criação da Copa João Havelange em 2000;

 

Flamengo – devido a escalação irregular do jogador André Santos no empate em 1×1 contra o Cruzeiro, 07/12/2013, pela última rodada do Brasileiro de 2013, o Flamengo perdeu 4 pontos, terminando com 45 pontos, e seria rebaixado no lugar do Fluminense, que havia sido rebaixado com 46 pontos. Ocorre que um dia depois do erro grotesco do Flamengo, 08/12/2013, a Portuguesa cometeu o mesmo erro escalando irregularmente o jogador Héverton no empate em 0x0 contra o Grêmio. Com isto, a Portuguesa perdeu 4 pontos, terminando com 44 pontos e sendo rebaixada no lugar do Flamengo.

 

O Cruzeiro é o único clube que nunca foi rebaixado, e que não está ligado nenhuma história relacionada ao rebaixamento.

 

 

Campeões Brasileiros que passaram pela terceira divisão, a Série C

Por mais que o foco sejam os rebaixamentos da Série A para a Série B, alguns campeões brasileiros passaram pela terceira divisão, a temida Série C. Em 1990, o Coritiba foi o primeiro campeão brasileiro a ser rebaixado para a terceira divisão. Foi o primeiro a ser rebaixado, mas não a disputá-la, pois este campeonato foi cancelado pela CBF. Assim, o primeiro campeão brasileiro que disputou efetivamente a terceira divisão foi o Fluminense em 1999. Outros dois campeões brasileiros também já disputaram a terceira divisão: Bahia, em 2006 e 2007, e Guarani, em 2007, 2008, 2013, 2014, 2015 e 2016. Dos três campeões brasileiros que passaram pela terceira divisão, apenas o Fluminense venceu o campeonato.

 

 

O Brasileiro de 1979

Apenas para constar, neste ano Corinthians, São Paulo, Santos e Portuguesa não disputaram o campeonato brasileiro pois queriam iniciar a disputa a partir da 3ª Fase, da mesma forma que Guarani e Palmeiras, campeão e vice do ano anterior. Isso não foi aceito pela CBD/CBF, que insistiu que os quatro clubes paulistas deveriam iniciar o campeonato na segunda fase, da mesma forma que os clubes cariocas (Americano, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Goytacaz e Vasco). Como não houve acordo, os quatro clubes paulistas não disputaram o campeonato e foram substutídos por outros quatro clubes de São Paulo.

Em 1980, Corinthians, São Paulo, Santos e Portuguesa estavam na primeira divisão pois haviam conquistado uma das 7 vagas destinadas a São Paulo através do Estadual de 1979.

 

 

O critério utilizado da pesquisa

Primeiramente, é importante ressaltar que por incrível que pareça, estatísticas não são uma ciência exata. Em algum ponto, sempre se cai no campo da interpretação. Nesse assunto então… Sendo assim, poderíamos utilizar como critério todos os rebaixamentos que ocorreram após 1988, mas isto geraria dados incompletos. Por isso, nós temos que considerar as participações dos clubes na segunda divisão em 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985. Como já disse no início do texto, não vou tratar esses casos como rebaixamentos, mas como participações.

Relembrando: de 1980 a 1985, os clubes não participaram da Série B porque foram rebaixados no ano anterior, mas porque não se classificaram para a Série A pelos seus campeonatos estaduais. Em 1971 e 1972, ano em que a segunda divisão somente envolveu clubes do Nordeste, as classificações se davam por torneios seletivos.

Desta forma, para que possamos chegar as informações corretas, estabeleci o seguinte critério:

 

Primeiro – Todos os rebaixamentos ocorridos após 1988, incluindo 1996 e 1999, anos em que os rebaixamento não foram efetivados;

Segundo – Os rebaixamentos não efetivados do campeonato de 1986;

Terceiro – Considerar as participações na segunda divisão de 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985, 8 edições no total.

 

Ao final das informações de cada clube, sempre que possível eu coloco os links disponíveis das temporadas de cada clube na Wikipedia. As informações desse levantamento foram todas obtidas na RSSSF, mas as informações das temporadas da Wikipedia são ótimas para que se tenha uma visualização consolidada.

Verificamos, por exemplo, que América-MG foi o clube que mais vezes foi rebaixado da primeira para a segunda divisão, 7 no total, incluindo 1986, e que participou de 6 dos 8 campeonatos da segunda divisão antes da implementação do rebaixamento. Das edições de 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985, o América-MG somente não participou das edições de 1971 e 1972. Nesses dois anos, o clube mineiro disputou a primeira divisão.

 

América-MG, sete rebaixamentos e seis participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 6 edições da Série A, tendo sido rebaixado 6 vezes: 1993, 1998, 2001, 2011, 2016 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 6 campeonatos: 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985.

Temporadas do América-MG

 

Entre os campeões brasileiros, os que mais vezes foram rebaixados são Sport-PE e Coritiba, com 6 rebaixamentos, incluindo 1986 nos dois casos, e duas participações nas 8 edições mencionadas da segunda divisão:

 

Sport-PE, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 2001, 2009, 2012 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1984. Em 1980, passou da Série B para a Séria A no meio do campeonato.

O Sport-PE não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1972.

Temporadas do Sport-PE

 

Coritiba, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 1993, 2005, 2009 e 2017. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987;

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1983.

O Coritiba não participou de nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1982.

Temporadas do Coritiba

 

O clube paranaense foi o primeiro campeão a ser rebaixado no ano em que defendia o título: 1986. Com o cancelamento do rebaixamento e a Copa União de 1987, disputou o Módulo Verde, o que alguns jornalistas, dito renomados, insistem em dizer de forma estúpida que era a primeira divisão. Em 1989, voltou a ser rebaixado para a Série B, juntamente com o Sport-PE, campeão brasileiro de 1987.

 

 

Quantas vezes o seu clube foi rebaixado desde 1986 e participou da segunda divisão de 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985?

A resposta deste pergunta será organizada através de duas relações. A primeira apenas os clubes campeões brasileiros (RELAÇÃO 1) e a segunda com todos os clubes, independente de terem sido ou não campeões brasileiros (RELAÇÃO 2).

 

 

RELAÇÃO 1 – APENAS OS CAMPEÕES DO BRASILEIRO

1ª colocação, Sport-PE e Coritiba, 6 rebaixamentos e duas participações cada

Sport-PE, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 2001, 2009, 2012 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987;

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1984. Em 1980, passou da Série B para a Séria A no meio do campeonato.

O Sport-PE não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1972.

Temporadas do Sport-PE

 

Coritiba, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 1993, 2005, 2009 e 2017. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1983.

O Coritiba não participou de nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1982.

Temporadas do Coritiba

 

2ª colocação, Atlhetico-PR, quatro rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 26 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1989, 1993 e 2011. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1982. Em 1982, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O Athletico-PR não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971, 1972, 1981 e 1985.

Temporadas do Athletico-PR

 

3ª colocação, Guarani, três rebaixamentos e três participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 15 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1989, 2004 e 2010.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1981, 1983 e 1984. Em 1983, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O Guarani não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971 e 1972.

Temporadas do Guarani

 

4ª colocação, Bahia, três rebaixamentos e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 19 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1997, 2003 e 2014.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou do campeonato de 1981, subindo para a Série A no decorrer da competição.

Temporadas do Bahia

 

5ª colocação, Vasco e Botafogo, três rebaixamentos cada

Vasco, três rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 27 edições da Série A, tendo sido rebaixado três vezes: 2008, 2013 e 2015.

Temporadas do Vasco

 

Comentários:

1984

O Vasco deveria ter participado da segunda divisão de 1984. O clube terminou o Estadual de 1983 na 7ª colocação e não obteve uma das 5 vagas destinadas ao Rio (Fluminense, Flamengo, Bangu, Botafogo e America). O clube carioca só participou da primeira divisão de 1984 em decorrência da criação de duas vagas pelo ranking histórico, sendo uma para ele e a outra para o Grêmio.

 

1986

O Vasco também deveria ter sido rebaixado no Brasileiro de 1986 quando o Joinville ganhou os pontos da partida contra o Sergipe. Como o Vasco não aceitou o seu rebaixamento, a CBF tentou empurrar a Portuguesa para salvá-lo. Isso só fez o problema piorar. A solução foi criar quatro vagas extras na segunda fase para os clubes do Torneio Principal, resolvendo o problema de Joinville/Vasco/Portuguesa (um dos três teria que ser rebaixado) e dando uma sobrevida a três clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase: Santa Cruz, Sobrinho e Náutico.

Por que a CBF criou quatro vagas? Para organizar coerentemente a segunda fase. Inicialmente, ela seria disputada por 32 clubes distribuídos em 4 grupos. Com a criação das 4 vagas, ela foi disputada por 36 clubes distribuídos em 4 grupos.

 

Botafogo, três rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 2002 e 2014. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Temporadas do Botafogo

 

Comentário:

1986

O Botafogo foi rebaixado no Brasileiro de 1986, pois ficou na penúltima colocação do Grupo I da segunda fase. Contudo, o clube conseguiu no STJD sua permanência na primeira divisão de 1987 alegando que em decorrência do problema envolvendo Joinville/Vasco/Portuguesa, a CBF criou 4 vagas extras, dando uma sobrevida a quatro clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase: um dos três envolvidos na confusão, Santa Cruz, Náutico e Sobradinho.

O Botafogo argumentou que não era correto ele ser rebaixado na segunda fase, quando clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase seguiram no campeonato por causa das vagas extras. Considerando todos os clubes que foram favorecidos pelas 4 vagas extras, apenas o Sobradinho foi rebaixado na segunda fase junto com o Botafogo.

 

1999

O Botafogo também deveria ter sido rebaixado no Brasileiro de 1999, mas permaneceu na primeira divisão devido ao Caso Sandro Hiroshi. Esse problema foi analisado na primeira parte do texto.

 

6ª colocação, Palmeiras, dois rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 2002 e 2012.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982. Em 1981, passou da Séria B para a Série A no meio do campeonato.

Temporadas do Palmeiras

 

7ª colocação, Fluminense e Grêmio, dois rebaixamentos cada

Fluminense, dois rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1996 e 1997. O rebaixamento de 1996 foi cancelado como parte da operação para abafar o escândalo de arbitragem conhecido como Caso Ivens Mendes.

Temporadas do Fluminense

 

Comentário:

1996

O rebaixamento de 1996 foi cancelado em Mai/1997 como parte da operação para abafar o escândalo de corrupção de arbitragens conhecido como Caso Ivens Mendes, envolvendo Corinthians e Atlético-PR. O Fluminense disputou a Série A de 1997 e foi novamente rebaixado. Na Série B de 1998, o clube carioca fez uma péssima campanha, sendo rebaixado dessa vez para a Série C de 1999.

 

2000/2001

Após vencer a Série C de 1999, o Fluminense se preparava para disputa a Série B de 2000, quando em Mai/2000 a CBF desistiu de organizar os campeonatos das Séries A, B e C. A desistência foi causada pelas sucessivas vitórias do Gama na Justiça Comum depois que a CBF atuou para ajudar Botafogo e Internacional-RS a permanecerem na Série A em detrimento do Gama. Terminada a Copa João Havelange, a CBF voltou a organizar o Brasileiro em 2001. Aproveitando-se do vácuo criado pela Copa João Havelange, a CBF organizou a Série A utilizando seus próprios critérios, da mesma forma como havia feito em 1988, depois da Copa União e seus Módulos Verde e Amarelo. A primeira divisão de 2001 foi organizada com 28 clubes: os 22 clubes que haviam disputado o campeonato de 1999; Goiás e Santa Cruz, campeão e vice da segunda divisão de 1999, e Fluminense, Bahia América-MG e São Caetano, clubes que disputariam a Série B de 2000.

O Fluminense não esteve envolvido com o Caso Sandro Hiroshi (Botafogo, Internacional-RS, São Paulo e Gama), com a batalha judicial do Gama, com o cancelamento das Séries A, B e C de 2000 e com a organização do Brasileiro de 2001.

 

2013

Em 2013, o Fluminense terminou o campeonato com 46 pontos e foi rebaixado pelo critério de desempate, um ano depois de conquistar o Brasileiro de 2012. O clube carioca foi o segundo campeão brasileiro a ser rebaixado no ano seguinte a conquista do campeonato, já que o primeiro havia sido o Coritiba, rebaixado em 1986, depois de conquistar o Brasileiro de 1985.

Contudo, devido a escalação irregular do jogador André Santos, o Flamengo perdeu 4 pontos, ficou com 45 pontos e seria rebaixado no lugar do Fluminense. Ocorre que o Flamengo, que havia escalado irregularmente André Santos num sábado, 07/12/2013, foi salvo pela Portuguesa, que escalou irregularmente o jogador Héverton no domingo, 08/12/2013. A Portuguesa perdeu 4 pontos, somou 44 pontos e foi rebaixada no lugar do Flamengo.

 

Grêmio, dois rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1991 e 2004.

Temporadas do Grêmio

 

Comentário:

1984

O Grêmio não se classificou para a Série A de 1984. No ano da conquista do Mundial e da Libertadores, 1983, o Grêmio terminou o Estadual Gaúcho na terceira colocação, não obtendo uma das duas vagas para a Série A de 1984. Isso faria com que o Grêmio disputasse a Série B de 1984. Para não deixar o clube gaúcho de fora, da mesma forma que o Vasco, a CBF criou duas vagas pelo ranking histórico e colocou as duas equipes na Série A de 1984.

 

1991

O Grêmio foi rebaixado no Brasileiro de 1991 e disputou a Série B de 1992. Sugiro a leitura do artigo sobre a história do rebaixamento no campeonato brasileiro para que se veja a trabalhosa, e absurda, operação de resgate promovida pela CBF para retirar o clube gaúcho da segunda divisão. Fato: sem essa operação, o Grêmio não teria retornado em 1992 (link).

Essa operação mexeu com o calendário da primeira e da segunda divisão em 1992 e 1993.

 

8ª colocação, Corinthians, um rebaixamento e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado em 2007.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou do campeonato de 1982. Neste ano, foi promovido à Série A no meio do campeonato, chegando até as semifinais, onde foi eliminado pelo Grêmio.

O Corinthians não participou do Brasileiro de 1979. Lembrando que nesse ano, somente houve o campeonato da primeira divisão.

Temporadas do Corinthians

 

Comentário:

1987 e 2000

Existem duas lendas relacionadas ao Corinthians, e potencializadas pelo fértil e muito criativo mundo da internet, de que o clube teria sido rebaixado em 1987 e 2000. Ocorre que nesses dois anos, os campeonatos foram organizados pelos clubes, e não pela CBF. Eles não tinham nem mesmo rebaixamento. Agora, o Corinthians fez campanhas simplesmente horrorosas nesses dois anos e se de fato houvesse rebaixamento, ele teria sido rebaixado.

Em 1987, o Corinthians foi o clube que menos somou pontos, apenas 10, considerando os 16 clubes que disputaram o Módulo Verde, com apenas duas vitórias, 6 empates e 7 derrotas.

Em 2000, o clube fez a segunda pior campanha da Fase Classificatória com 25 clubes, somando 16 pontos com 4 vitórias, 4 empates e nada menos que 16 derrotas. Isso no ano seguinte a conquista do bicampeonato brasileiro de 1998 e 1999. Um saco-de-pancada para ninguém botar defeito.

Pode-se dizer que o Corinthians estava no lugar errado na hora certa.

 

9ª colocação, Internacional-RS e Atlético-MG, um rebaixamento cada

Internacional-RS, 1 rebaixamento

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado uma vez: 2016.

Temporadas do Internacional-RS

 

Comentário:

1999

O Internacional recebeu os 3 pontos da partida contra o São Paulo, em que havia empatado por 2×2, em decorrência do Caso Sandro Hiroshi. Esses pontos lhe foram dados antes do final do campeonato, quando o Internacional corria um risco altíssimo de ser rebaixado. Terminado o campeonato, o Internacional havia conquistado no campo os pontos necessários para permanecer na primeira divisão. Os 3 pontos que lhe foram dados de presente pela CBF acabaram funcionando como um seguro que acabou não sendo usado.

 

Atlético-MG, 1 rebaixamento

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado uma vez: 2005.

Temporadas do Atlético-MG

 

 

RELAÇÃO 2 – TODOS OS CLUBES, INCLUINDO OS CAMPEÕES DO BRASILEIRO

Quantas vezes os clubes, campeões brasileiros ou não, já foram rebaixados desde 1986 e participaram da segunda divisão de 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985?

 

1ª Colocação

América-MG, sete rebaixamentos e seis participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 6 edições da Série A, tendo sido rebaixado 6 vezes: 1993, 1998, 2001, 2011, 2016 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 6 campeonatos: 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985.

Temporadas do América-MG

 

2ª Colocação

Sport-PE, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 2001, 2009, 2012 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1984. Em 1980, passou da Séria B para a Série A no meio do campeonato.

O Sport-PE não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1972.

Temporadas do Sport-PE

 

Coritiba, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 21 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1989, 1993, 2005, 2009 e 2017. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1983.

O Coritiba não participou de nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1982.

Temporadas do Coritiba

 

Vitória, seis rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 22 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1991, 2004, 2010, 2014 e 2018. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1982 e 1983. Em 1982, começou na Séria A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Mixto-MT.

O Vitória não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971, 1984 e 1985.

Temporadas do Vitória

 

3ª Colocação

Criciúma, cinco rebaixamentos e quatro participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 10 edições da Série A, tendo sido rebaixado 4 vezes: 1988, 1997, 2004 e 2014. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1982 e 1983.

O Criciúma disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1979, quando disputou a Série A. Desde então, não disputou nenhuma de suas divisões em 1984 e 1985.

Temporadas do Criciúma

 

4ª Colocação

Santa Cruz, cinco rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 5 edições da Série A, tendo sido rebaixado 5 vezes: 1988, 1993, 2001, 2006 e 2016.

Participou do Brasileiro de 1986, foi rebaixado na primeira fase para a segunda divisão de 1987, mas foi mantido no campeonato com a criação de quatro vagas extras na segunda fase para solução do problema envolvendo Joinville, Vasco e Portuguesa.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1982 e 1983.

Temporadas do Santa Cruz

 

5ª Colocação

Fortaleza, quatro rebaixamentos e cinco participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 4 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1993, 2003 e 2006. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 5 campeonatos: 1972, 1980, 1982, 1983 e 1985. Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Galícia-BA.

O Fortaleza não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971 e 1988.

Temporadas do Fortaleza

 

6ª Colocação

Avaí, quatro rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 5 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 2011, 2015 e 2017. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1984.

O Avaí disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1974, quando disputou a Série A. Desde então, não disputou de nenhuma das divisões em 1975, 1978, 1981, 1982, 1983, 1985 e de 1990 a 1994.

Temporadas do Avaí

 

Goiás, quatro rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 23 edições da Série A, tendo sido rebaixado 4 vezes: 1993, 1998, 2010 e 2015.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1982. Em 1982, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Campo Grande do Rio de Janeiro.

O Goiás não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1971 e 1972.

Temporadas do Goiás

 

Atlhetico-PR, quatro rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 26 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1989, 1993 e 2011. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1982. Em 1982, passou da Séria B para a Série A no meio do campeonato

O Athletico-PR não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971, 1972, 1981 e 1985.

Temporadas do Athletico-PR

 

7ª Colocação

America-RN, três rebaixamentos e quatro participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 3 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1998 e 2007. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1972, 1982, 1984 e 1985. Em 1982, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Tiradentes-PI.

Não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1971 e 1992.

Temporadas do América-RN

 

8ª Colocação

Paysandu, três rebaixamentos e três participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 17 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1995 e 2005. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1971, 1980 e 1983. Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Central-PE.

O Paysandu não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1972, 1984 e 1988.

Temporadas do Paysandu

 

Guarani, três rebaixamentos e três participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 15 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1989, 2004 e 2010.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1981, 1983 e 1984. Em 1983, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O Guarani não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 1971 e 1972.

Temporadas do Guarani

 

9ª Colocação

Náutico, três rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 11 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1994, 2009 e 2013.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1971 e 1981. Em 1981, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

Temporadas do Náutico

 

Comentário

1986

O Náutico se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube pernambucano na Série B.

 

Figueirense, três rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 12 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 2008, 2012 e 2016.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1985.

O Figueirense não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1971, 1972, 1974, 1977, 1982, 1983, 1984, 1986, 1987, 1990 e 1992 (desistiu de disputar a Série C).

Temporadas do Figueirense

 

Portuguesa, três rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 17 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 2002, 2008 e 2013.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1982 e 1983.

A Portuguesa não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em  1979, 2018 e 2019.

Temporadas da Portuguesa

 

10ª Colocação

Juventude, três rebaixamentos e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 12 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1999 e 2007. O rebaixamento de 1999 não foi efetivado. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou apenas do campeonato de 1980.

O Juventude disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1977 (Série A). Desde então, não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1981, 1982, 1983, 1984, 1985 e 1992.

Temporadas do Juventude

 

Ponte Preta, três rebaixamentos e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 13 edições da Série A, tendo sido rebaixada 3 vezes: 2006, 2013 e 2017.

Considerando as 8 edições da Série B, antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou apenas do campeonato de 1971.

A Ponte Preta não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro de 1972 a 1975, e em 1979 e 1984.

Temporadas da Ponte Preta

 

Bahia, três rebaixamentos e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 19 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 1997, 2003 e 2014.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou do campeonato de 1981, subindo para a Série A no decorrer da competição.

Temporadas do Bahia

 

11ª Colocação

Paraná, três rebaixamentos

O Paraná disputou a primeira divisão pela primeira vez em 1993. Desde então, participou de 15 edições da Série A, tendo sido rebaixado três vezes: 1999, 2007 e 2018, sendo que o rebaixamento de 1999 não foi efetivado.

O Paraná Clube foi fundado no dia 19 de dezembro de 1989, após a fusão do Colorado Esporte Clube e do Esporte Clube Pinheiros. O primeiro campeonato brasileiro que disputou foi a Série C de 1990.

Temporadas do Paraná

 

Clubes que formaram o Paraná:

Pinheiros-PR, um rebaixamento e uma participação

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1984.

 

Colorado-PR, uma participação

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1985.

 

Vasco, três rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 27 edições da Série A, tendo sido rebaixado três vezes: 2008, 2013 e 2015.

Temporadas do Vasco

 

Comentários:

1984

O Vasco deveria ter participado da segunda divisão de 1984. O clube terminou o Estadual de 1983 na 7ª colocação e não obteve uma das 5 vagas destinadas ao Rio (Fluminense, Flamengo, Bangu, Botafogo e America). O clube carioca só participou da primeira divisão de 1984 em decorrência da criação de duas vagas pelo ranking histórico, sendo uma para ele e a outra para o Grêmio.

 

1986

O Vasco também deveria ter sido rebaixado no Brasileiro de 1986 quando o Joinville ganhou os pontos da partida contra o Sergipe. Como o Vasco não aceitou o seu rebaixamento, a CBF tentou empurrar a Portuguesa para salvá-lo. Isso só fez o problema piorar. A solução foi criar quatro vagas extras na segunda fase para os clubes do Torneio Principal, resolvendo o problema de Joinville/Vasco/Portuguesa (um dos três teria que ser rebaixado) e dando uma sobrevida a três clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase: Santa Cruz, Sobrinho e Náutico.

Por que a CBF criou quatro vagas? Para organizar coerentemente a segunda fase. Inicialmente, ela seria disputada por 32 clubes distribuídos em 4 grupos. Com a criação das 4 vagas, ela foi disputada por 36 clubes distribuídos em 4 grupos.

 

Botafogo, três rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 2002 e 2014. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Temporadas do Botafogo

 

Comentário:

1986

O Botafogo foi rebaixado no Brasileiro de 1986, pois ficou na penúltima colocação do Grupo I da segunda fase. Contudo, o clube conseguiu no STJD sua permanência na primeira divisão de 1987 alegando que em decorrência do problema envolvendo Joinville/Vasco/Portuguesa, a CBF criou 4 vagas extras, dando uma sobrevida a quatro clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase: um dos três envolvidos na confusão, Santa Cruz, Náutico e Sobradinho.

O Botafogo argumentou que não era correto ele ser rebaixado na segunda fase, quando clubes que haviam sido rebaixados na primeira fase seguiram no campeonato por causa das vagas extras. Considerando todos os clubes que foram favorecidos pelas 4 vagas extras, apenas o Sobradinho foi rebaixado na segunda fase junto com o Botafogo.

 

1999

O Botafogo também deveria ter sido rebaixado no Brasileiro de 1999, mas permaneceu na primeira divisão devido ao Caso Sandro Hiroshi. Esse problema foi analisado na primeira parte do texto.

 

12ª Colocação

Remo, dois rebaixamentos e cinco participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de apenas duas edições da Série A, tendo sido rebaixado em 1994. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixado para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 5 campeonatos: 1971, 1981, 1982, 1983 e 1984.

Não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 1987, 1988, 2009, 2011 e 2013.

Temporadas do Remo

 

13ª Colocação

Botafogo-SP, dois rebaixamentos e quatro participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de apenas duas edições da Série A, tendo sido rebaixado em 1999 e 2001. O rebaixamento de 1999 não foi efetivado.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1982 e 1983. Em 1983, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O Botafogo de Ribeirão Preto disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1976 (Série A). Desde então, ficou sem disputar nenhuma das divisões em 1979, 1984, 1985, 1986, 1994, de 2004 a 2009, 2011, 2012 e 2014.

Temporadas do Botafogo-SP

 

14ª Colocação

Ceará, dois rebaixamentos e três participações [1]

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 4 edições da Série A, tendo sido rebaixado em 1993 e 2011.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1981, 1983 e 1984.

Temporadas do Ceará

 

Comentário

1986

O Ceará se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube cearense na Série B.

 

15ª Colocação

Desportiva, dois rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de apenas uma edição da Série A, 1993, tendo sido rebaixada nesse mesmo ano. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixada para a segunda divisão de 1987.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1982 e 1984. Em 1982, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Uberaba.

A Desportiva disputou o campeonato brasileira pela primeira vez em 1973 (Série A). Desde então, não participou de nenhuma das divisões em 1983, 1990, 2002, de 2004 a 2015, 2018 e 2019.

Temporadas da Desportiva

 

Atlético-GO, dois rebaixamentos e duas participações [1]

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 4 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 2012 e 2017.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1983.

O Atlético-GO disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1979 (Série A). Desde então, não participou de nenhuma das divisões do campeonato em 1982, 1984, 1985, 2004 e 2005.

Temporadas do Atlético-GO

 

Comentário

1986

O Atlético-GO se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube goiano na Série B.

 

Palmeiras, dois rebaixamentos e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado 3 vezes: 2002 e 2012.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982. Em 1981, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

Temporadas do Palmeiras

 

16ª Colocação

Gama, dois rebaixamentos e uma participação

A Sociedade Esportiva do Gama, fundada no dia 15 de novembro de 1975, participou pela primeira vez do campeonato brasileiro em 1979 (Série A), voltando a disputá-la em 1980. Retornou a Série A somente em 1999, quando foi rebaixada para a Série B de 2000 depois que o Botafogo recebeu os pontos da derrota de 6×1 para o São Paulo em decorrência do Caso Sandro Hiroshi. Além de 1999, participou da Série A em 2001 e 2002, quando foi rebaixada. Em 2000, participou do Módulo Azul da Copa João Havelange.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou apenas do campeonato de 1981.

Desde 1979, o Gama não participou de nenhuma das divisões do campeonato nos anos de 1982 a 1989, 1992, 1994, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019.

Temporadas do Gama

 

Comentário

1999

Em 1999, o Gama terminou o campeonato rebaixado para a segunda divisão de 2000. Contudo, esse rebaixamento acabou não sendo efetivado devido as sucessivas vitórias judiciais do Gama. O clube brasiliense havia sido deliberadamente prejudicado pela CBF, por causa do Caso Sandro Hiroshi, para salvar Botafogo e Inter-RS do rebaixamento. Este imbróglio fez com que a CBF desistisse de organizar o Brasileiro das Série A, B e C em 2000, nascendo assim a Copa João Havelange. No Brasileiro de 2001, a CBF voltou a organizar o Campeonato Brasileiro e pôs o Gama na Série A para evitar novos problemas judiciais.

 

17ª Colocação

Santo André, dois rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de apenas uma única edição, 2009, tendo sido rebaixado no mesmo ano. Participou do Brasileiro de 1986 e foi rebaixada para a segunda divisão de 1987.

O Esporte Clube Santo André, fundado no dia 18 de setembro de 1967, disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1984 (Série A). Desde então, não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro nos anos de 1985, 1990, 1991, 1992, 1993, 1996, 1997, 1999 e de 2014 em diante.

Temporadas do Santo André

 

União São João de Araras, dois rebaixamentos

O União São João de Araras participou da Série A pela primeira vez em 1993, tendo disputado-a também nos anos de 1994, 1995 e 1997. Foi rebaixado nos anos de 1995 e 1997.

Fundado no dia 14 de janeiro de 1981, o primeiro campeonato brasileiro que o clube disputou foi a Série C de 1988. Desde então, não disputou nenhuma das divisões em 1990, 1991 e de 2006 a 2014. Em 2015, seu departamento de futebol foi desativado;

Temporadas do União São João de Araras

 

Bragantino, dois rebaixamentos

O Bragantino disputou a Série A pela primeira vez em 1990. Desde então, participou de 9 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1996 e 1998. O rebaixamento de 1996 foi cancelado como parte da operação para abafar o escândalo de arbitragem conhecido como Caso Ivens Mendes.

Considerando todas as divisões, o Clube Atlético Bragantino, fundado no dia 9 de janeiro de 1928, participou pela primeira vez do brasileiro em 1989, quando conquistou a Série B. Desde então, não participou de nenhuma das divisões do campeonato brasileiro em 2004, 2005 e 2006.

Temporadas do Bragantino

 

Fluminense, dois rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1996 e 1997. O rebaixamento de 1996 foi cancelado como parte da operação para abafar o escândalo de arbitragem conhecido como Caso Ivens Mendes.

Temporadas do Fluminense

 

Comentário:

1996

O rebaixamento de 1996 foi cancelado em Mai/1997 como parte da operação para abafar o escândalo de corrupção de arbitragens conhecido como Caso Ivens Mendes, envolvendo Corinthians e Atlético-PR. O Fluminense disputou a Série A de 1997 e foi novamente rebaixado. Na Série B de 1998, o clube carioca fez uma péssima campanha, sendo rebaixado dessa vez para a Série C de 1999.

 

2000/2001

Após vencer a Série C de 1999, o Fluminense se preparava para disputa a Série B de 2000, quando em Mai/2000 a CBF desistiu de organizar os campeonatos das Séries A, B e C. A desistência foi causada pelas sucessivas vitórias do Gama na Justiça Comum depois que a CBF atuou para ajudar Botafogo e Internacional-RS a permanecerem na Série A em detrimento do Gama. Terminada a Copa João Havelange, a CBF voltou a organizar o Brasileiro em 2001. Aproveitando-se do vácuo criado pela Copa João Havelange, a CBF organizou a Série A utilizando seus próprios critérios, da mesma forma como havia feito em 1988, depois da Copa União e seus Módulos Verde e Amarelo. A primeira divisão de 2001 foi organizada com 28 clubes: os 22 clubes que haviam disputado o campeonato de 1999; Goiás e Santa Cruz, campeão e vice da segunda divisão de 1999, e Fluminense, Bahia América-MG e São Caetano, clubes que disputariam a Série B de 2000.

O Fluminense não esteve envolvido com o Caso Sandro Hiroshi (Botafogo, Internacional-RS, São Paulo e Gama), com a batalha judicial do Gama, com o cancelamento das Séries A, B e C de 2000 e com a organização do Brasileiro de 2001.

 

2013

Em 2013, o Fluminense terminou o campeonato com 46 pontos e foi rebaixado pelo critério de desempate, um ano depois de conquistar o Brasileiro de 2012. O clube carioca foi o segundo campeão brasileiro a ser rebaixado no ano seguinte a conquista do campeonato, já que o primeiro havia sido o Coritiba, rebaixado em 1986, depois de conquistar o Brasileiro de 1985.

Contudo, devido a escalação irregular do jogador André Santos, o Flamengo perdeu 4 pontos, ficou com 45 pontos e seria rebaixado no lugar do Fluminense. Ocorre que o Flamengo, que havia escalado irregularmente André Santos num sábado, 07/12/2013, foi salvo pela Portuguesa, que escalou irregularmente o jogador Héverton no domingo, 08/12/2013. A Portuguesa perdeu 4 pontos, somou 44 pontos e foi rebaixada no lugar do Flamengo.

 

Grêmio, dois rebaixamentos

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 28 edições da Série A, tendo sido rebaixado duas vezes: 1991 e 2004.

Temporadas do Grêmio

 

Comentário:

1984

O Grêmio não se classificou para a Série A de 1984. No ano da conquista do Mundial e da Libertadores, 1983, o Grêmio terminou o Estadual Gaúcho na terceira colocação, não obtendo uma das duas vagas para a Série A de 1984. Isso faria com que o Grêmio disputasse a Série B de 1984. Para não deixar o clube gaúcho de fora, da mesma forma que o Vasco, a CBF criou duas vagas pelo ranking histórico e colocou as duas equipes na Série A de 1984.

 

1991

O Grêmio foi rebaixado no Brasileiro de 1991 e disputou a Série B de 1992. Sugiro a leitura do artigo sobre a história do rebaixamento no campeonato brasileiro para que se veja a trabalhosa, e absurda, operação de resgate promovida pela CBF para retirar o clube gaúcho da segunda divisão. Fato: sem essa operação, o Grêmio não teria retornado em 1992 (link).

Essa operação mexeu com o calendário da primeira e da segunda divisão em 1992 e 1993.

 

18ª Colocação

Bangu, um rebaixamento e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou apenas da primeira edição, 1988. Rebaixado, o Bangu nunca mais retornou à primeira divisão.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1983. Em 1980, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O Bangu disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1978 (Série A). Desde então, não participou de nenhuma divisão do campeonato em 1979, 1996, 1997, 1998, de 2004 a 2016, 2018 e 2019. Em 2009, o clube disputaria a Série D, mas desistiu antes do início do campeonato.

Temporadas do Bangu

 

America-RJ, um rebaixamento e duas participações

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou apenas da primeira edição, 1988. Rebaixado, o America nunca mais retornou à primeira divisão.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982. Em 1982, passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

O America não disputou qualquer divisão do campeonato brasileiro nos anos de 1987, 1992, 1996, 1999, 2005, 2008, 2009 e a partir de 2011. Em 1987, o clube, depois de ter chegado à semifinal do Brasileiro de 1986, não foi convidado pelo Clube dos 13 para participar do Módulo Verde e acabou não aceitando o convite da CBF para participar do Módulo Amarelo. Em 1992, o America desistiu de disputar a Série C.

Temporadas do America-RJ

 

Joinville, um rebaixamento e duas participações [1]

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de apenas uma única edição, 2015, tendo sido rebaixado no mesmo ano.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou dos campeonatos de 1982 e 1983. Nesses dois anos, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas semifniais dos dois campeonatos: em 1982 pelo CSA e em 1983 pelo Juventus.

O Joinville Esporte Clube foi fundado no dia 29 de janeiro de 1976. O primeiro campeonato brasileiro que disputou foi a Série A de 1977. O clube não disputou nenhuma divisão do campeonato brasileiro em 2008 e 2009.

Temporadas do Joinville

 

Comentário

1986

O Joinville seguiu no campeonato de 1986 depois da criação de 4 vagas extras para resolver a confusão envolvendo o clube catarinense, Vasco e Portuguesa. Classificou-se na segunda fase e acabou sendo eliminado nas quartas-de-final. Ou seja, independente do problema da primeira fase, o Joinville havia se classificado pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube catarinense na Série B.

 

19ª Colocação

Internacional de Limeira, um rebaixamento e uma participação [1]

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou apenas de duas edições da Série A, 1989 e 1990. Rebaixada em 1990, nunca mais retornou à primeira divisão.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou apenas do campeonato de 1980.

A Internacional de Limeira disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1979 (Série A). Desde então, não disputou nenhuma das divisões do campeonato em 1983, 1984, 1985, 1992, 1994, 1996, 1998, 1999, 2001 e de 2004 em diante.

Temporadas da Internacional de Limeira

 

Comentário

1986

A Internacional de Limeira se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube paulista na Série B.

 

Corinthians, um rebaixamento e uma participação

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado em 2007.

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou do campeonato de 1982. Neste ano, foi promovido à Série A no meio do campeonato, chegando até as semifinais, onde foi eliminado pelo Grêmio.

O Corinthians não participou do Brasileiro de 1979. Lembrando que nesse ano, somente houve o campeonato da primeira divisão.

Temporadas do Corinthians

 

Comentário:

1987 e 2000

Existem duas lendas relacionadas ao Corinthians, e potencializadas pelo fértil e muito criativo mundo da internet, de que o clube teria sido rebaixado em 1987 e 2000. Ocorre que nesses dois anos, os campeonatos foram organizados pelos clubes, e não pela CBF. Eles não tinham nem mesmo rebaixamento. Agora, o Corinthians fez campanhas simplesmente horrorosas nesses dois anos e se de fato houvesse rebaixamento, ele teria sido rebaixado.

Em 1987, o Corinthians foi o clube que menos somou pontos, apenas 10, considerando os 16 clubes que disputaram o Módulo Verde, com apenas duas vitórias, 6 empates e 7 derrotas.

Em 2000, o clube fez a segunda pior campanha da Fase Classificatória com 25 clubes, somando 16 pontos com 4 vitórias, 4 empates e nada menos que 16 derrotas. Isso no ano seguinte a conquista do bicampeonato brasileiro de 1998 e 1999. Um saco-de-pancada para ninguém botar defeito.

Pode-se dizer que o Corinthians estava no lugar errado na hora certa.

 

20ª Colocação

Ipatinga, um rebaixamento

O Ipatinga Futebol Clube, fundado no dia 21 de maio de 1998, disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 2000: Copa João Havelange, Módulo Branco. Após terminar a Série B de 2007 na segunda colocação, disputou a única Série A de sua história, 2008, tendo sido rebaixado no mesmo ano. Desde 2015, o clube não disputa nenhuma das divisões do campeonato brasileiro.

Temporadas do Ipatinga

 

Brasiliense, um rebaixamento

O Brasiliense Futebol Clube, fundado no dia 1 de agosto de 2000, disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 2001 (Série C). Em 2004, foi campeão da Série B, o que lhe credenciou para participar da única Série A de sua história, 2005, tendo sido rebaixado no mesmo ano.

Não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro nos anos de 2015, 2016 e 2017. Em 2019, disputará a Série D.

Temporadas do Brasiliense

 

São José, um rebaixamento

O São José Esporte Clube, fundado no dia 13 de agosto de 1933, disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1982 (Série A). Em 1989, foi vice-campeão da Série B, o que lhe credenciou para participar da única Série A de sua história, 1990, tendo sido rebaixado no mesmo ano.

Não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro nos anos de 1983 a 1988, de 1993 a 1996, 1998, 1999 e desde 2001.

Temporadas do São José

 

Grêmio Barueri, um rebaixamento

O Grêmio Barueri foi fundado no dia 26 de março de 1989 e disputou a Séria A pela primeira vez em 2009. Em 2010, voltou a disputar a Série A e terminou sendo rebaixado para a segunda divisão.

O primeiro campeonato brasileiro que disputou foi a Série C de 2006. O clube não disputou nenhuma divisão em 2015 e 2016. Em 2017, decretou falência e encerrou suas atividades.

Temporadas do Grêmio Barueri

 

São Caetano, um rebaixamento

A Associação Desportiva São Caetano, fundada no dia 4 de dezembro de 1989, disputou o campeonato brasileiro pela primeira vez em 1993 através da Qualificatória para a Segunda Divisão de 1994. Na Copa João Havelange de 2000, foi o primeiro colocado do Módulo Amarelo e disputou a fase final do campeonato a partir das oitavas-de-final, sendo derrotado pelo Vasco na final. Em 2001, a CBF voltou a organizar o campeonato e manteve o São Caetano na Série A. Além de 2001, disputou a Série A em 2002, 2003, 2004, 2005 e 2006, quando foi rebaixado.

O São Caetano não disputou nenhuma das divisões do campeonato brasileiro nos anos de 1994, 1995, 1996, 1997, 2016, 2017 e 2018. Em 2019, disputará a Série D.

Temporadas do São Caetano

 

Internacional de Porto Alegre, um rebaixamento

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado uma vez: 2016.

Temporadas do Internacional-RS

 

Comentário:

1999

O Internacional recebeu os 3 pontos da partida contra o São Paulo, em que havia empatado por 2×2, em decorrência do Caso Sandro Hiroshi. Esses pontos lhe foram dados antes do final do campeonato, quando o Internacional corria um risco altíssimo de ser rebaixado. Terminado o campeonato, o Internacional havia conquistado no campo os pontos necessários para permanecer na primeira divisão. Os 3 pontos que lhe foram dados de presente pela CBF acabaram funcionando como um seguro que acabou não sendo usado.

 

Atlético-MG, um rebaixamento

Dos 30 campeonatos com rebaixamento, participou de 29 edições da Série A, tendo sido rebaixado uma vez: 2005.

Temporadas do Atlético-MG

 

 

CLUBES QUE NÃO PARTICIPARAM MAIS DA PRIMEIRA DIVISÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO DEPOIS DE 1986

 

Central-PE, um rebaixamento e sete participações

O Central-PE foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 7 campeonatos: 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985.

Temporadas do Central

 

Novo Hamburgo, um rebaixamento e seis participações

O Novo Hamburgo foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 6 campeonatos: 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985;

Temporadas do Novo Hamburgo

 

River-PI, um rebaixamento e seis participações

O River-PI foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 6 campeonatos: 1971, 1972, 1980, 1982, 1983 e 1985.

Em 1982, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas quartas-de-final pelo Campo Grande-RJ.

Temporadas do River

 

Americano-RJ, um rebaixamento e cinco participações

O Americano-RJ foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 5 campeonatos: 1980, 1981, 1982, 1983 e 1985.

Nos anos de 1980 e 1983, subiu da Série B para a Série A no meio dos campeonatos.

Temporadas do Americano

 

Comercial-MS, um rebaixamento e cinco participações

O Comercial-MS foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1982 e 1984.

Temporadas do Comercial-MS

 

Confiança-SE, um rebaixamento e cinco participações

O Confiança-SE foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1972, 1980, 1981 e 1985.

Temporadas do Confiança

 

CRB, um rebaixamento e quatro participações

O CRB foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1971, 1982, 1983 e 1985.

Temporadas do CRB

 

Guarany-CE, um rebaixamento e quatro participações

O Guarany-CE foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1971, 1972, 1981 e 1983.

Temporadas do Guarany

 

Maranhão, um rebaixamento e quatro participações

O Maranhão foi rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1971, 1981, 1983 e 1984.

Temporadas do Maranhão

 

Rio Negro, um rebaixamento e quatro participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1984 e 1985.

Temporadas do Rio Negro

 

Sampaio Corrêa, um rebaixamento e quatro participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1971, 1972, 1980 e 1982.

Temporadas do Sampaio Corrêa

 

Tuna Luso, um rebaixamento e quatro participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1971, 1980, 1981 e 1985.

Temporadas da Tuna Luso

 

Moto Clube, um rebaixamento e quatro participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1972, 1980, 1983 e 1985.

Em 1983, começou na Séria A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Joinville.

Temporadas do Moto Clube

 

Juventus-SP, um rebaixamento e quatro participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1982 e 1983.

Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e conquistou o campeonato.

Temporadas do Juventus

 

Botafogo-PB, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1972, 1981 e 1984.

Temporadas do Botafogo-PB

 

Operário-MT, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1980, 1982 e 1983.

 

Sergipe, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1980, 1982 e 1984.

Temporadas do Sergipe

 

Londrina, um rebaixamento e 3 participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1971, 1980 e 1983.

Temporadas do Londrina

 

Itumbiara, um rebaixamento e 3 participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1980, 1983 e 1984.

 

Nacional-AM, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 3 campeonatos: 1980, 1982 e 1983.

Em 1982, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi pelo River-Pi nas oitavas-de-final.

Temporadas do Nacional

 

Ferroviário-CE, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1971, 1982 e 1983.

Em 1982 e 1983, o Ferroviário começou na Série A, foi desclassificado e passou para a Série B para disputar a fase final. Em 1982, foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Itabaiana. Em 1983, também foi eliminado nas oitavas-de-final, mas pelo Londrina.

Temporadas do Ferroviário

 

Mixto-MT, um rebaixamento e três participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1971, 1982 e 1983.

Em 1982 e 1983, o Mixto começou na Série A, foi desclassificado e passou para a Série B para disputar a fase final. Nesses dois anos, foi eliminado nas quartas-de-final pelo CSA.

Temporadas do Mixto-MT

 

Alecrim-RN, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1972 e 1983.

 

Anápolis-GO, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982.

 

Cascavel, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1981 e 1982.

 

Catuense, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1982 e 1985.

 

Fluminense-BA, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1972 e 1983.

 

Goytacaz, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1984 e 1985.

 

Uberlândia, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1980 e 1984.

Em 1984, o Uberlândia passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

 

Operário-MS, um rebaixamento e duas participações

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 2 campeonatos: 1983 e 1985.

Temporadas do Operário-MS

 

Brasil de Pelotas, um rebaixamento e uma participação

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1980.

Temporadas do Brasil de Pelotas

 

Piauí, um rebaixamento e uma participação

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1980.

 

Sobradinho, um rebaixamento e uma participação

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1985.

 

Sport-PA, um rebaixamento e uma participação

Rebaixado no Brasileiro de 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de um campeonato: 1971.

 

Taguatinga-DF, um rebaixamento e uma participação

Taguatinga-DF foi rebaixado em 1986. Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou do campeonato de 1982. Neste ano, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B onde foi eliminado pelo Joinville nas oitavas-de-final.

 

Ubiratan-MS e Marcílio Dias-SC, um rebaixamento

Ubiratan-MS e Marcílio Dias-SC foram rebaixados uma única vez: 1986.

 

Campinense, cinco participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de cinco campeonato: 1971, 1972, 1980, 1982 e 1983

Temporadas do Campinense

 

Treze-PB, quatro participações [1]

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de 4 campeonatos: 1980, 1981, 1983 e 1985.

Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi nas oitavas-de-final pelo Brasília.

Temporadas do Treze

 

Comentário

1986

O Treze se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube paraibano na Série B.

 

Campo Grande-RJ, quatro participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos:  1980, 1981, 1982 e 1984

 

Tiradentes, quatro participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos: 1972, 1981, 1982 e 1984.

 

Uberaba, quatro participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos: 1980, 1981, 1982 e 1983.

Em 1981 e 1983, o Uberaba passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

 

União-MT, quatro participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos: 1980, 1981, 1984 e 1985

 

Volta Redonda, quatro participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos: 1981, 1982, 1983 e 1984.

Temporadas do Volta Redonda

 

CSA, quatro participações [1][2]

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de quatro campeonatos: 1972, 1980, 1982 e 1983.

Em 1982 e 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase e passou para a Série B. Nesses dois anos, chegou até a final. Em 1982, foi derrotado pelo Campo Grande-RJ, e em 1983, pelo Juventus-SP.

Temporadas do CSA

 

Comentário

1986

O CSA se classificou pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987. Depois da confusão desse ano, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988, colocou o clube alagoano na Série B.

 

ABC-RN, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1971, 1980 e 1981.

Temporadas do ABC-RN

 

ASA-AL, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1981 e 1984.

 

Flamengo-PI, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1971, 1972 e 1981.

 

Grêmio-PR, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1981 e 1983.

 

Guará-DF, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1982 e 1983.

 

Itabaiana-SE, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1971, 1972 e 1983.

Em 1982, o Itabaiana começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B onde foi eliminado pelo Uberaba nas quartas-de-final.

Temporadas do Itabaiana-SE

 

Itabuna-BA, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1981 e 1984.

 

Leônico-BA, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1981 e 1982.

 

Vitória-ES, três participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de três campeonatos: 1980, 1981 e 1985.

 

Alagoinhas, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1972 e 1984.

 

América-SP, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1985.

Em 1980, o América-SP passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

 

América-PE, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1972 e 1981

 

Anapolina, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1981

Temporadas do Anapolina

 

Baraúnas, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1982

 

Bonsucesso, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1983

 

Comercial-SP, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1981

 

Ferroviária-SP, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1981

Temporadas da Ferroviária

 

Ferroviário-PE, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1971 e 1972

 

Goiânia, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1985

Temporadas do Goiânia

 

Inter de Santa-Maria-RS, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1981 e 1984

 

São Bento-SP, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1981 e 1983

Temporadas do São Bento

 

São Paulo-RS, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1981 e 1982.

Em 1982, o São Paulo-RS passou da Série B para a Série A no meio do campeonato.

 

Serrano-RJ, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1981.

 

XV de Novembro-SP, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1984

Temporadas do XV de Novembro

 

Villa Nova-MG, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1971 e 1980

Temporadas do Villa Nova

 

Brasília-DF, duas participações

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1983.

Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado pelo CSA na semifinal.

 

Rio Branco-ES, duas participações [1]

Considerando as 8 edições da Série B antes da implantação do rebaixamento (1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985), participou de dois campeonatos: 1980 e 1983.

Em 1983, começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado pelo Mixto-MT nas oitavas-de-final.

Temporadas do Rio Branco-ES

 

Uma participação na Série B nas edições de 1971, 1972, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985

1985, Marília-SP (Temporadas do Marília-SP);

1984, Icasa-CE (Temporadas do Icasa-CE);
1984, Nacional-GO;
1984, Tiradentes-DF;
1984, Bandeirantes-PR;

1983, Guarapari-ES;
1983, Esportivo-RS;
1983, Galícia-BA; [3]

1982, Tiradentes-CE;
1982, Vila Nova-GO (Temporadas do Vila Nova-GO);
1982, Colatina-ES;

1981, América-SP;

1980, Caldense-MG
1980, Chapecoense-SC (Temporadas da Chapecoense); [4]
1980, Botafogo-BA;
1980, Noroeste-SP (Temporadas do Noroeste-SP);
1980, Operário-PR (Temporadas do Operário-PR);
1980, Caxias-RS (Temporadas do Caixas-RS);

1972, Calouros-CE;
1972, Ferroviário-MA;
1972, Maguari-CE;
1972, São Domingos-AL;

1971, Central-RJ;
1971, América-SC;
1971, Rodoviária-AM.

 

[1] Internacional de Limeira, Treze-PB, Atlético-GO, Ceará, Náutico, Joinville, CSA e Rio Branco-ES se classificaram pelo Brasileiro de 1986 para a Série A de 1987, que acabou não sendo realizada. Contudo, quando a CBF voltou a organizar o campeonato em 1988,  os oito clubes relacionados foram colocados na Série B. O CSA desistiu de participar da Série B desse ano e o América-MG ocupou sua vaga.

[2] Desde 1988, a CSA disputou algumas edições da Série B, mas a maior parte do tempo oscilou entre as Séries C e D. Nos anos de 1988, 1993, 2004, 2005, 2007, 2011, 2014 e 2015, não disputou nenhuma das divisões do Campeonato Brasileiro. Em 2016, iniciou sua ascensão em direção à Série A de 2019.

[3] Em 1983, o Galícia começou na Série A, foi eliminado na primeira fase, passou para a Série B e foi eliminado nas quartas-de-final pelo Juventus-SP.

[4] A Associação Chapecoense de Futebol foi fundada no dia 10 de maio de 1973. Ela participou do Campeonato Brasileiro pela primeira vez em 1978, disputando a Série A. No ano seguinte, o clube catarinense disputou a Série A pela segunda vez. De 1980 a 2008, a Chapecoense disputou a Série B em 1980 e a Série C nos anos de 1992, 1995, 1996, 1997, 1998 e 2007. Nos demais anos desse período, a Chapecoense não disputou nenhuma das divisões do Campeonato Brasileiro. Em 2009, o clube catarienense iniciou sua ascensão em direção a Série A, que voltou a disputar em 2014. Desde então, a Chapecoense permanece na primeira divisão.

 

 

Jorge Priori é torcedor do Fluminense e gosta muito de história.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s